CD novo do Cure

capa do novo CD
E o Sr. Bob Smith está de volta!!! Parece que estamos mesmo “de volta aos 80”, pois depois do lançamento do novo album do Morrissey, agora é a vez da minha outra banda do coração lançar um album novo.
Ouvi rapidamente agora todo o cd, e é realmente um cd do cure: tem momentos pesados como Lost e Labyrinth, relembrando a depressão de Pornography; tem alt.end lembrando Three Imaginary Boys; a longuíssima e barulhenta The Promise e os hits Never e The End of The World (a melhor do disco).
O Navarro, que é a reencarnação simultânea do Robert Smith, me falou que nas Americanas.com tem o cd mais um dvd making of do album por 36 pilas, mas na verdade está por R$40,89 (ver loja).
O álbum também saiu em versão simples (sem DVD) em em vinil, com 8 faixas extras!!! O Navarro disse que já mandou buscar todas…
Ouvir um cd novo do Cure me remete aos tempos que eu morava no Recife e passava as noites ouvindo The Head On the Door e Kiss me Kiss me Kiss me.

Woodstock Brasileiro


[clique para um zoom]
Nos inícios de 80, rolou em São Paulo o Festival de Águas Claras. Foram três dias de som em uma fazenda, com mais de 50 mil pessoas… Esse show ficou conhecido como o “Woodstock Brasileiro”.
E eu estava lá! Foi a minha primeira viagem de moto, e devem ter sido uns 350 km debaixo de muita chuva. Ficamos os 3 dias na fazenda, acampados no meio do lamaçal !!! Os banhos eram coletivos, com os caras e as gurias, todos nús, em baixo de uma caixa d’água. Ninguém dormia de noite, os shows começavam de tardezinha e iam até o sol nascer. Foi muito divertido, conheci muita gente e dei muita risada. Muito legal ter ido a esse show histórico.
Só tinha gente boa!!!

Novas O2 e Runner World


E chegaram minhas revistas favoritas sobre corrida… Leitura é um bom programa para quem não está podendo correr.

Treinos interrompidos

Continuo no tratamento da tendinite.
Fui no ortopedista e ele receitou um anti-inflamatório, alongamentos e sessões de gelo. Mandou também fazer uma ecografia.
Fiz a eco hoje e a mesma acusou um inchaço no tendão de aquiles.
Ainda vou ficar longe das pistas por algum tempo…

“Ridiculous”

é fria...
Domingo. Dia de curtir o sol, de passear com a Chandra, de comer em bons restaurantes e, claro, de ir ao cinema.
Apesar de todo o apelo cultural ou apenas feliz que assistir a um filme possa ter, permitam-me partilhar uma nova categoria descoberta nessa incursão pelo mundo cinematográfico.
Decidimos, eu e o Rubino, ir ao Bourbom Ipiranga assistir Tróia (devo ser a última pessoa que ainda não viu o Brad Pit sem, digamos, roupas…). Programamos nosso dia em função da sessão das 18h 20 min. Chegamos lá pelas 18 horas e, com o shopping mais que lotado, restava, por ironia do destino, um único lugar.
Tentei envolver o meu parceiro para assistir Shrek, porém sem sucesso. Ambos já sem paciência e nos sentindo em SP (nosso carro ficou há 200 metros da entrada), tive o brilhante insigth de darmos uma incerta no Bourbom Country.
E lá fomos nós. Estava bem mais calmo, as pessoas pareciam tranqüilas e aguardavam pacientemente numa fila de mais ou menos 100 que se misturavam: Shrek 2 e “O dia depois de amanhã”- sim, Tróia já saiu de cartaz e, já que a idéia tivera sido minha de vir até o Country, achei melhor não contrariar quando o Rubino se entusiasmou em assistir esse “espetáculo”.
“Ridiculous”, essa é a palavra mágica dita pela Hermioni (Harry Potter e o Prisioneiro de Askaban) quando ela empunhava a varinha mágica para destruir algo que considerava indesejado. Essa também foi a minha expressão, talvez bem menos efusiva que a personagem de Hogwarts, ao ser indagada pelo Rubino sobre o filme.
É tão completamente clichê essa obra de Roland Emmerich, que acabou por destruir até mesmo o papel de um excelente ator como Dennis Quaid. Como pode um diretor ter uma idéia maravilhosa na mão, baseada em evidências que até poderiam simular uma realidade, e transformar todo esse subsídio em chavões?
“O dia depois de amanhã” é permeado de diálogos desconexos. Tenta colocar sarcasmo, ou humor inteligente, em momentos totalmente impróprios. Tira, retira e torna herméticas todas as possibilidades de alguém crescer e fazer uma performance decente nas cenas. Apresenta decisões importantes que irão definir o destino do filme, porém sem nenhum sentido, como o resgate do filho que ficou preso em Manhattan. Traz cenas de total incoerência – quando os rapazes entram no navio pela sala de máquinas: não existe porta em uma sala de máquinas de um navio, pois essa está SEMPRE embaixo dágua. E a gota d’água mais indigna, repugnante e debochada foi o discurso final que nos brindou com o suposto arrependimento americano por ter desconsiderado durante “todos os tempos” países de Terceiro Mundo, como o México.
Ridiculous! Ridiculous! Ridiculous! Não preciso ter varinha mágica para abominar e enterrar definitivamente esse filme em um compartimento lacrado e definitivamente inacessível de mim. Porém, algo mudou em minha vida, uma nova categoria surgiu, a categoria das coisas que nunca chegaram a ser.

FotoBlog VR


E foi criado o FotoBlog VR!!! Um site “irmão” do Mondo VR.
O FotoBlog VR é um site onde eu colocarei as minhas fotos temáticas sobre eventos, viagens, e etc…
Você pode comentar, votar, guardar as preferidas, e muito mais!
E para inaugurar, além das fotos da Festa “De Volta aos 80“, eu publiquei minhas fotos sobre flores no álbum “1000 Flores, 1 Jardim“.
Estou usando um script chamado 4images da empresa 4homepages.
Então, guarde em seus favoritos:
http://fotoblog.reticencias.com.br.

Festa de Níver Report

CD Comemorativo
O OSHO estava estranho: as portas cerradas e a entrada desviada para um corredor lateral. Enquanto caminhávamos pelo corredor sombrio, o som de atabaques de umbanda ia crescendo. Pensei – “Será o bar OSHO ou OXOSSI???”… O ruído era dos vizinhos dos fundos.
Entramos no OSHO e começamos a decorar o local com balões. A Chandra Kandi foi junto e saiu a fazer um passeio de reconhecimento. As luzes refletidas no globo de espelhos deixavam a Chandra maluca: ela fica rosnando e tentando pegar as luzinhas pelo chão.
Pouco a pouco os convidados foram chegando: Meus amigos da Biodanza, da SBDG, da FGV, do trabalho, a turma da ESPM, meus amigos da música, enfim… o OSHO foi lotando.
Cada um que chegava era saudado pela nossa promoter: a Chandra Kandi. Depois dos cumprimentos ao aniversariante era dado um “CD Comemorativo”, com os maiores hits dançantes dos anos 80 remixados por um DJ espanhol.
Seria difícil nomear todos os presentes, e sem dúvida os ausentes fizeram muita falta, principalmente aqueles que confirmaram que viriam e no fim… não vieram.
O aniversariante estava radiante: de mesa em mesa conversava com os amigos, e sabia que o tempo era escasso para o tanto o que se poderia conversar. Uma sessão de fotos foi iniciada, e apesar da pouca luz do bar dificultar o trabalho (as vezes eram necessárias vários clics para se obter uma foto boa), uma boa recordação daqueles momentos foi obtida com uma máquina digital.
O “parabéns” foi o ponto alto da noite: Pego meio de surpresa, com as pessoas já cantando, o aniversariante correu para perto do bolo, e pode sentir o poder de ter pessoas tão querida em volta: um sentimento de plenitude e vitória. O discurso foi resumido em um sincero “muito obrigado”.
Talvez pelo grande número de pessoas, ou pela delícia do sabor, o bolo rapidamente desapareceu. Os DVD´s das bandas The Cure e Smiths que estavam rolando até então, deram lugar ao “CD Comemorativo” e o ambiente ficou ainda mais descontraído. Infelizmente o OSHO não pode aumentar o som (talvez atrapalhe a umbanda vizinha) e porisso não rolou uma pista de dança.
Pessoas, amigos que eu amo, presentes, ou que não puderam estar lá, aqueles que me telefonaram, muitas vezes de longe, todos os que me passaram mensagens de texto pelo celular, mensagens por email e recadinhos via orkut e via blog; e também aqueles quem não me ligaram mas apenas pensaram em mim (um beijo Gígi e Luígi…): eu me senti muito feliz e tenho certeza que a energia que eu recebi neste dia vai durar durante todos os momentos deste meu próximo ano.
Já vou começar a pensar no nome da festa do ano que vem!!!
(um obrigado especial para as pessoas que levaram donativos para ajudar a quem passa frio)
CLIQUE AQUI PARA VER AS FOTOS DA FESTA!!!
fotosdafesta.jpg

Quarentena em NY


{convite para o aniversario do ano passado}
Hoje é o aniversário de Vicente Rubino, o humilde autor deste blog.
Estou me preparando para a festa de hoje a noite. Fique por enquanto com a recordação dos melhores momentos da festa do ano passado, a Quarentena em NY.
(A cobertura completa da festa De Volta aos 80 será publicada apenas neste fim de semana – não percam!!!)

Kitnet, mas com duas janelas

“Dê uma janela apenas à racionalidade, que ela se transformará em uma parede”
“Dê uma janela apenas ao lado emocional, e você verá um mundo cor-de-rosa (ou um mundo cinzento)”
“Abra as suas portas para a Razão e para a Emoção”