Fechamento ou abertura ???


[clique para aumentar]
[clique aqui para ver as outras fotos da noite]
Difícil estava escolher o título desse artigo. Difícil estava classificar o “Mondo” a que ele pertencia: Social, VR, Psy? Na dúvida, foi nos três…
O dia já estava repleto de encontros. A noite foi um fechamento perfeito para o dia!
Ainda de tarde estava atacado de uma leve tendinite que voltou (mas agora no outro pé… eh eh eh) após a última corrida. Recebi uma maravilhosa energização e… voilá: a dor sumiu!
Me mandei então para o pump e foi a mais incrível aula que fz até hoje. Estava MUITO energizado, com MUITISSIMO pique. Cheguei até a ficar emocionado de felicidade em alguns momentos. Coisa de louco. E a Nadime até ajudou um pouco na minha emoção… Uau! eh eh eh!
Corro para casa, cuido do bicho, tomo banho, me arrumo e me mando para o Mercatto.
Mercatto lotado, mas mesmo assim entro e fico esperando lugar. Como é bom ser “amigo da casa”… Lá estavam os amigos FêDê e FêBrum. Legal ver eles!!! Logo em seguida chegam Cristix e N’Joel. Passamos para a mesinha de espera. Chegam Anaí e Danizinha. Liberou o “cafofo” e as maravilhosas meninas do Mercatto gentilmente nos passaram para lá. Foi tudo de bom!!!
Eu tinha um sentimento de certeza que tudo ia dar certo com o nosso encotro, mas pegar o cafofo era algo que não passou pelo meus sonhos! O ambiente estava perfeito para os nossos papos e para o nosso grupo. Chamamos a maravilhosa pizza de beringela com tomates secos e bebemos várias RubisBeer. A RubisBeer que foi batizada assim pela turma, na verdade é uma criação da FêBrum e consiste na mistura da cerveja Original com um pouquinho de Malzebeer. Fica maravilhoso e a turma adorou !!!
Acabou a pizza e nos mandamos para o Palito não-sei-o-que, barzinho que a Anaí queria conhecer. Infelizmente eu, Cristix e Joel não topamos ficar na fila e nos mandamos para a festa de aniversário da Tiza, que chamamos de TIZAÇAO.
Chegando na Tização, demos um beijo na aniversariante, e eu até levei um presentinho. Realmente a moça é “simpática” e muito querida: O Charla Pub estava repleto com os seus amigos. Estava rolando um som meio MPB meio anos 70 bem manero. Nos despedimos da moça e fomos ver se encontrávamos alguém no Ossip.
Já eram 2 da manhã e o Ossip estava bombando. Reconheci uma guria das festas, a garota da foto dos “fios de alta tensão” e cheguei para um papo. Seu nome é Lili e ela ia no sábado numa festa em São Leopoldo. Que pena, “seria legal ver ela dançando no Ninho das Aguias de sábado para domingo”, pensei…
Atravessando a rua, aparecem a… Anaí e Dani! Haviam saído do Palito e resolveram passar pelo Ossip. Festejamos a coincidência e armamos de esticar na NEO. Cristix e NJoel declinaram e eu me mandei com a gurias para a NEO, com uma rápida passada pelo apartamento delas para nos trocarmos e prepararmos para a festa.
E na NEO estava tocando o ROMA JR. Todo mundo sabe que o cara toca muito, mas ontem foi… foi…. especial! Não sei porque, mas o cara consegui fazer a tradução perfeita do que as pessoas estavam querendo e a sua técnica de mixagem estava, como sempre, per-fei-ta. Tenho que dizer: Obrigado Roma!
Eu e as gurias estávamos loucos para dançar um psytrance, e nos esbaldamos na pista. Conosco estavam toda (bem, quase toda…) trance nation. Falei com a Miau (vida boa essa , heim?), com a Babi (a casa caiu!!!), com a Karina, com a Rachel, com a Sabrina, com o Calliari, com o Renatinho e a Lilí, que havíamos visto no Ossip deu o ar de sua graça lá também. A Karina improvisou um chuveirinho com uma garrafinha de água mineral, então ninguém pôde reclamar do calor que estava fazendo na nossa egrégora!
Mesmo com toda essa Vibe, não deixei de me lembrar da Thais. Como seria legal se ela tivesse compartilhado tudo com o grupo. Várias pessoas perguntaram por ela. Tatá, cadê você? – também pergunto eu…
Foi uma noite que só acabou com a luz do dia de hoje. Como havia dito no começo dessa descrição “a noite foi um fechamento perfeito para o dia”. Acho que na verdade “a noite foi uma abertura perfeita para o dia”: Hoje vai ter Supply Full na Serra! Vai cair a casa!!!

Encontros e Desencontros

– Vamos logo Ewerton, vamos almoçar…
E o cara ainda vai fumar, perde a chave do carro… e demooooora. Era o primeiro dominó que desencadearia tantas outras sincronicidades que viriam a seguir, como uma peça de dominó derrubando a próxima… Finalmente saímos, e começam os encontros:
> Penso no almoço de sábado, onde estava sentado na mesma mesa que estava no almoço de hoje. Naquela data, a Lya Luft e Friends sentaram na mesa ao lado. Enquanto eu estava absorto por essas lembranças, o Ewerton pergunta: – Você já leu o livro da Lya Luft? (Uau !!!) Como ele perguntou isso naquela hora que eu estava pensando, visualizando a própria?
> Olho para a mesa da frente. Pessoa conhecida! Levanto e vou até lá. A Dora me fala que havia me visto. Pergunto-me por que ela não me acenou? Eu digo que vou fazer um curso de Photoshop com ela. Ela rí…
> Convido o Ewerton para correr amanhã. Ele diz que não dá. Vejo a Fábi. Ela me convida para correr. “Mas correr no sábado, bem na hora do almoço, Fábi?”…
> Cafezinho expresso. A Maureen me diz que o seu Lhasa Apso se chama Pop Art. Digo “muito prazer” e falo sobre a Chandra Kandi. Falo também dos meus tempos de publicidade quando a Maureen as vezes ia no meu studio para gravar uns spots. Supreendentemente, ela se lembra.
> O Carlo me vê. Diz que eu estou magro. Eu digo que a barbicha dele cresceu. Pergunto se ele vai na festa de Nova Petrópolis, que afinal de contas é perto da terrinha dele. Ele me diz: “Não é Nova Petrópolis, é Galópolis!”. Então tá, com quem entende do assunto eu não discuto, eh eh eh…
> A Ana me diz que o pão integral é feito com o trigo grosso, sem ser refinado. “Os bons carboidratos!!!” – eu penso, alegre! Levei um pão desses para casa.
Os desencontros ficaram restritos à perda da preferência na locação do apê que queria mudar; e com alguém que ainda não me vê no trânsito, mesmo estando janela aberta à janela aberta comigo; e meu som estar a mil, tocando Astrix…
Eu poderia ter me abalado com os desencontros. Mas com tanta sintonia que desfruto atualmente, com tanta gente do Bem à volta, como duvidar que até os Desencontros de hoje são destinados aos futuros Encontros do amanhã?

Todo meu MSN tava lá…

Todo meu MSN tava lá… Todo meu Orkut tava lá… Todos os leitores do Mondo, que moram em Porto Alegre e adjacências, tavam lá!!!
Bem… Passado o entusiasmo inicial, foi quase isso mesmo. Cheguei agora da festa de lançamento da revista VOID005 e tinha muita, mas muita gente lá.
E não apenas isso, tinha muita gente legal. E isso é que vale, isso que entusiasma!
Estava eu declarando o IR 2005, relaxando depois de correr 7 km, com umas doses de JD com RB, quando aparece a carinha da Fê no MSN. Dessa vez nós não estávamos com fome, e em vez de jantares, combinamos uma passada rápida na festa, apenas “uma passadinha básica”…
Já na chegada fomos achacolhados pelos flanelinhas que exigiram 5 pilas adiantados. Não dei e tirei uma foto do carinha com o meu celular. Ele me perguntou por que eu tirei a foto. Respondi que ele era lindo. Entramos.
O lugar é “muito” legal: grande, com dois níveis. A decoração também é boa, nada fantástica, mas limpa. A qualidade de som deixou a desejar nos graves.
E agora começa a seção “galera”. Bem na entrada vi o Lupeix, que me apresenstou o Punkahhh. Ficamos combinando detalhes para uma supresa que em breve revelarei aqui no Mondo. Quando de repente eu tenho uma visão: Não acreditei, mas era verdade…
A Anaí estava lá !!! Fiquei imaginando como é simples para um lugar se tornar perfeito. Fui falar com ela e logo vi que ela estava com uma amiga. Adivinhem quem? Ah ah ah ah ah a ha. Danizinha!!!! Eba! Já ficamos combinado o café, e outras “cozitas más”, né Dani… Com elas estava a Luana, uma garota muito linda que não saía à noite há 8 meses… Nossa, que estudiosa! Conversamos sobre essa fase dela e combinamos que um período de clausura tão longo assim não poderia mais se repetir: em maio tem PsyPrivate de novo… eheheh
Outras pessoas me foram apresentadas e disseram ler meu blog. Outras viram meus lives. Que legal. A egrégora vai se expandindo rapidamente… Cada vez mais tem pessoas dentro.
Muitas outras pessoas da cena psy foram vistas por lá. Que legal, disse a Fê, “as pessoas não tem que ter preconceitos e tem que circular pelas cenas”. Concordo plenamente e legal também seria se as pessoas que não conhecem o que é uma festa open-air pudesse ir em uma, para ver “qual é que é”… Neste momento que digito este texto não estou aguentando o cheiro de cigarro da minha roupa. Ainda sobre as pessoas: Não me lembro de alguns nomes, outros matenho segredo (eh eh eh), mas o ambiente estava bem legal. Conversei bastante com o Uka (outro do MSN e da velha guarda: fazemos festa desde 1988. Isso mesmo, você estava vendo a Xuxa nessa época!).
Lugar legal, pessoas maravilhosas, mas com música estranha não dá! Queremos dançar!!! A galera urrava: mas o som da noite era pankadão, funk, black beats, e outras coisas legais de ouvir, mas estranhas para se dançar. Essa estória de bundalelê não rola… Para vocês terem uma idéia, os pezinhos da Dani até ficaram parados…Nossa…
Aproveitei o “tchau” do Lupeix, e também me despedi do pessoal. Amanhã agenda cheia: de manhã trampo, de tarde contador, depois café com Danizinha, Body Pump, níver da TIZA, jantar com N’Joel & Cristixa e de saideira Cidade Baixa com a Anaí.
Na verdade nem todo meu MSN tava lá… Nem todo meu Orkut tava lá… Nem todos os leitores do Mondo tavam lá!!!
Todos estavam, e estão sempre dentro do meu coração.

Em ritmo de chegada

Intensificam-se os treinos com a aproximação da data da corrida Rústica de Porto Alegre.
Não estava escrevendo muito sobre isso, mas estou treinando forte para a prova do dia 29/05. Eu e os demais “atletas” da “Equipe VR2 Running”… eh eh eh.
Hoje foi dia de correr com o Ewerton. E foi o mais longo treino até então: 7 km ao por do Sol, do Gasômetro até o Estádio Beira Rio, ida e volta.
Levei GPS, Data Recorder e Cinta Cardíaca. Só esqueci do… relógio… rsrsrsrs O Ewerton, que possui um equipamento igual ao meu falou que o nosso tempo foi uns 40 e poucos minutos, numa média constante de 10 km/h.
Vamos Além, (e de preferência mais rápido…)!

20.000 Acessos


PLANTÃO DO MONDO VR INFORMA:

Em 05 de Novembro de 2004 atingimos os 5.000 acessos…
A marca de 10.000 acessos caiu em 24 de Março, ou há pouco mais de um mês apenas!!!
E hoje de tardinha superamos os 20.000 acessos!
Definitivamente a “depressão” de Outubro / Novembro de 2004 que ainda era visível até alguns meses atrás, hoje já nem existe mais. VIVA !!!
O tempo dá uma outra dimensão a tudo na vida! Como eu sempre digo: Viva o TEMPOL !!! O melhor remédio para os males do mundo e do imundo
Veja o gráfico abaixo:

Só posso dizer uma (duas) coisa(s): Obrigado, e Vamos Além!


E O PLANTÃO DO MONDO VR PODE VOLTAR A QUALQUER MOMENTO, EM OUTRA EDIÇÃO EXTRAORDINÁRIA…

Hoje eu estou assim:

“Não acredito em nada não…
Só não duvido da Fé
Não quero luxo, nem lixo…
Quero gozar no final!”

(fragmentos de Nem Luxo, Nem Lixo – de Rita Lee)
Comentários: Sai da terapia, liguei o celular, recebi na mesma hora uma mensagem de alguém que estava comentando um artigo naquele mesmo momento. Ao abrir a mensagem no celular e ver o nome da pessoa, vejo um 1111 na rua! Não tive dúvidas: telefonei para essa pessoa mandando um “Bom Dia” com muita Energia!
Ligo o rádio e ouço essa música da Rita Lee. A letra é curta e direta. Senti um significado novo para esta letra.
Existem pessoas “que não acreditam em nada”, e nem tem Fé. Acredito que deve ser muito vazio viver assim. Isso é solitário e ao mesmo tempo egoísta. Tipo eu por mim e eu contra todos…
Eu sou do tipo “não acredito em nada não”, mas não que eu seja cético. Sou do tipo que vivencia para crer, mas para isso tem que se ter uma abertura inicial. Eu principalmente “não duvido da Fé”, nunca. Por isso creio nas pessoas. Creio nas coisas.
Eu também “não quero luxo, nem lixo”. A verdade está no meio. O pão nosso de cada dia, nos dai hoje. Quero viver bem, centrado intensamente no momento e, no final, no final… Uauuuuuuuuuuu!!!!!!

O Cara que inventou os Peixes não era bobo!!!

E não estou me referindo ao glorioso Peixe, Campeão Brasileiro! (sim deixei de ser gremista, e estou me valendo da prerrogativa de ter nascido em Sampa e ter sido Santista um dia…)
Estou me referindo aos peixes mesmo, e seus amigos, frutos do mar!
Todos sabem as qualidades alimentares dos peixes. Carne branca, boas proteínas, leve… Mas e para cozinhar??? Ai meu Deus!!!
Nunca tinha preparado pratos com peixes. E ainda mais… no forno! Mas hoje foi o dia: Me toquei para o Zaffari e comecei a escolher: todos pareciam iguais, mas tinha um que era rosa.
– Congrio Rosa? – perguntei
– Não, senhor é Salmão. – repondeu o atendente
– Quanto custa?
– 25 “real” o quilo.
Enxerguei outro peixe que parecia ser mais bonito: seria também mais gostoso? Mas nem sempre as “coisas” mais bonitas também são as mais gostosas…
– E esse quanto que custa?
– 38 “real” o quilo.
Apliquei o meu critério de desempate e comprei o peixe de 38 pilas, que inacreditavelmente, para o azar de vocês eu esqueci o nome e prometo assim que lembrar colocar um comentário com o nome do bicho.
Bom resumindo por que já está tarde: Fiz um peixe ma-ra-vi-lho-so: Assado ao molho de limão, azeite e sal, com cebolas, alcaparras e aquelas folhinhas verdes do Popoye, o… como chama aquilo? Rúcula.. não…ah! Espinafre. Uma delícia. Para acomapanhar, arror integral (como sempre) e batatinha souté, que os gaúchos insistem em chamar de “sou-tchê”.
Não posso dar a receita pois fui fazendo tudo na mão grande, e nem sei o nome do peixe… Fica então a fotinho do banquete.

E a partir de agora o Rubistrô inclui em seu minúsculo cardápio os peixes. Um brinde de vinho branco ao cara que os inventou! Glub glub…

De Olho em mim (A Chandra observa)

Imagine uma floresta sem nenhum ser humano e sem nenhum animal… Se uma árvore cair nessa floresta, faz barulho???
Lógico que… NAO !!! “Barulho” é a representação que fazemos ao fenômeno das ondas que se propagam no ar quando atingem aos nossos ouvidos. Ou seja, sem ninguém para “ouvir” as ondas, elas ficam assim: apenas ondas…
Sem Observador não existe a Manisfestação. Nada acontece sem alguém para observar, e ao ser efetuada a observação fica validada a existência de algo que só “existia” em possibilidade, em potência…
tô de olho em tí, Rubis... te cuida!
A Chandra observa eu me barbear. Ela observa quando eu estou no home studio. Ela é a minha sombra de luz, meu alter-ego.
E ao me observar, ela me valida para o mundo, tornando-me real.
– Obrigado Chandrinha, por compartilhar todos esses momentos comigo, sempre emitindo o seu Amor Incondicional.
– Obrigado você, Rubis!!! Tú é “o cara”!

A Melhor Cafeteria


Não tem para ninguém: o juri MondoVR escolheu (por unanimidade, como sempre!!!) a Media Luna como a Melhor Cafeteria do Brasil.
A Media Luna fica na Rua Dr. Timóteo, quase na esquina da 24 de Outubro, em Porto ALegre / RS – Brasil. O lugar é um saco para estacionar, mas vale a pena o sacrificio… Cafés, tortas, medias lunas (croissants), empanadas e pães… ou seja: todos os “Maus Carboidratos” do mundo apresentados e preparados de uma maneira irresistível.
Só não digo que a Media Luna é a melhor cafeteira do Mondo porque prefiro ainda a Brownie, de Rosario/Argentnia e a Coffee, de NY/NY.
Olha essa foto: que Cortado Per-fei-to. O RubiBAR ainda não chegou nesse nivel… E essa torta? Eles chamam de cheesecake, mas eu chamo-a de Torta de Nuvem, de tão fofa, branquinha e macia… Uhhhh!!!!
Então já sabem: todo fim de tarde, ou a qualquer momento durante o dia, vocês me acham alí.
Só não vou lá de noite, porque de noite é horário de tomar café no Muffulleta, o indefectível Baileys Coffee.

Viva a opção de escolha?

– Quechócar? Quechócar?
– Whaaaat???? I beg your pardon…
Imagine a minha cara na Bloomingales em NY City tentando pagar umas comprinhas e ouvindo a frase acima como resposta da menina do caixa… Quechócar… Ah!!! Cash or Card??? Pagar com dinheiro ou cartão!!!
Dominó, Damas, Gamão ou Trilha?
Cada vez mais temos que decidir entre os opções. Já havia escrito um artigo com as minhas aventuras no super. Agora uma coisa que está me irritando é a pergunta que sempre vem depois de eu dar o meu cartão Visa para qualquer pagamento que eu queira fazer:
– Débito ou Crédito…
Que saco! E o pior que geralmente eu estou destraído, com a mente longe, longe…. e demoro para responder. Acho que vou escrever BEM GRANDE no cartão a palavra DEBITO, e ver se funciona!
Já lí que a inteligência é a capacidade de fazer distinções. Os esquimós tem 26 palavras diferentes conforme o tipo de neve. Ou seja, de neve eles são Ph.D.!!! Mas parece que quanto mais distinções existem, mais a gente vai “emburrecendo” ao ter que decidir com tanta classificação.
Um simples cafezinho hoje no almoço foi uma comédia:
– Um cafézinho, por favor!
– Expresso ou passado?
– Expresso.
– Carioquinha ou normal?
– Normal.
– Duplo, simples ou café curto…
– Suspende.
Até uma simples Coca Cola virou um martírio:
– Me traz uma Coca?
– Normal ou light?
– Light.
– Light ou Light Lemmon.
– Só Light mesmo….
– Gelo e Limão?
– Suspende… Traz água…
– Com gás ou sem…
– Tchau…
E o pior é que se você falar tudo bem determinadinho, desde a primeira vez, os cérebros dos atendentes não estão preparados para receber tanta informação de uma vez e invariavelmente, ou eles pedem para confirmar tudo tim-tim por tim-tim, aproveitando para perguntar sobre as variações, ou trazem errado depois o seu pedido… Arghhhhh….
Bons tempos que quando se pedia Coca Cola apenas tinha que se decidir se era tamanho “família” ou “Coca Litro”…