O fim do Horário de Verão


[tchau sol, já vai tão cedo??!!!]
Acabou o horário de verão. E o pôr de sol radiante que só se observa aqui em Porto Alegre (talvez pela sua rala camada de ozônio…) está acontecendo mais cedo. E com isso nossos dias ficam mais curtos.
Eu gosto do horário de verão porque parece que assim vivemos mais sintonizados com a natureza. Fui pensar no porquê, e desconfio que seja mais pela época de verão. Nos meus tempos do Recife curtia o sol com intensidade, mesmo que lá o sol se recolhia já às cinco da tarde.
Com o fim do horário de verão os congestionamentos voltam para a penumbra do fim de tarde, nossas horas de “happy hour” passam a serem destinadas aos bares, e não mais aos parques, e tudo perde o seu encantamento.
O fim do horário de verão… é o fim…

Luigi is FLASH !!!

prá que tanta rebeldia?
E o Luigi vai ficando tão famoso como o pai (bem, talvez até mais…): ele está na capa da revista Flash, de divulgação nacional, graças ao grupo mexicano Rebelde.
E atenção para as chamadas de capa da revista:
– Salgueiro em Chamas: Luana e Carol incedeiam os ensaios
– Dossiê Sílvio Santos: o dia-a-dia do homem do baú
– Lista de Exigências: os excêntricos desejs dos Stones
– Casamento Badalado: o sim de Vladimir e Adriana Esteves
– Sadíssimas: os segredos do corpo sarado das estrelas
– Paixão Rebelde: Brasil se encanta com o Furacão Mexicano
Nunca vi revista tão fútil e horrenda como essa (talvez porque nunca me caiu na mão nenhuma Caras)!!! Nada de útil, apenas fofoca, vida alheia, artificialismos, consumismos injustificados… uma “fazeção” só! Mas pelo menos a Flash tem o Luigi Mileno na capa.
Mas com certeza eu preferiria vê-lo na capa da revista científica Nature, ao ser anunciado a cura para a Síndrome de Pelizaeus (PMD) e de outras doenças desmielinizantes
Tenho fé que esse dia chegue logo como um “Flash”…

Life is a Game

passando para a próxima fase do 'game'... tem triÂngulos!!! oba....
[click to play]
Don´t give up before the “Game’s Over”…

Que Lixo !!!


[clique para dobrar o Lixo]
O ser humano em última análise é um animal fabricante de lixo. Pensa bem, nenhum outro animal faz tanto estrago no mundo como nós. Nessa época de consumo desenfreado, onde o ter vale mais do que o ser, estamos pagando um preço extra e alto pelo lixo.
As embalagens são cada vez mais supérfluas e cada vez mais poluentes. Lembrem-se que as embalagens externas nada mais são do que publicidade! E assim como a publicidade, elas cumprem com o papel de diferenciar os supérfluos. Por isso cada vez mais cores, cada vez mais plásticos, cada vez mais… lixo!
Fico indignado ao constatar, a cada ida ao súper, a quantidade de lixo que eu tenho que jogar fora! Um total absurdo!!! Eu que moro sozinho, são sacos e mais sacos, cheios de coisas inúteis…
Num Toddynho de caixinha, depois de jogar fora o envólucro de plástico que envolvia as 3 unidades, e também o plástico que envolvia o canudinho, eu leio na embalagem Tetra-Pak: RECICLE ESTA EMBALAGEM. Eu? Como?!?!? Limitei-me a dispô-la no lixo seco, sem a menor esperança que um dia aquela caixinha fosse reaproveitada para algo. Fica fácil para os fabricantes transferir a responsabilidade pela reciclagem de seus produtos. Na certificação da ISO 14001, a Norma Ambiental, existe uma preocupação em todo o ciclo de vida do produto, da “terra até a terra” ou seja, das matérias primas até o descarte final. Mas tudo isso é muito pouco utilizado. Não se pode tranferir para o usuário final essa responsabilidade!
Num site sobre motocicletas europeu, eu vi sendo considerada como taxa de manutenção da moto valores referentes a taxas ambientais. Funciona assim: quando você vai trocar de pneu, por exemplo, você paga uma taxa para o devida destinação do pneu velho. Taxa Ambiental! Então é isso: como disse no começo do artigo, o lixo quem paga é você!!!
Então para que pagar por lixo supérfluo? O lixo indispensável, tudo bem, mas aquelas embalagens modernas, cheias de tirinhas, plastiquinhos e encartezinhos estão me deixando louco!
A primeira coisa que eu faço é retirar tudo o que é possível de ser retirado dessas embalagens antes de guardar os produtos na geladeira ou nos armários. E acreditem: fica muito mais bonito ver um armário sem aquelas marcas coloridas, além de ocupar bem menos espaço! Tem produtos que não dá para fazer isso e só geram o lixo quando de sua utilização, como por exemplos as cervejas long neck e os enlatados em geral…
Saudades eu tenho quando se entregava o leite Paulista naquelas garrafas de vidro, que vinham e iam para a fábrica. A caixinha Tetra-Pak eu não sei onde enterrar!

[produtos foram do lixo: que bonitinhos!!!]

Por isso (também) que eu escrevo o Mondo

And don't have my blog: write yours!
Acho que esse tem se tornado um bom motivo por eu ainda estar escrevendo o Mondo… “Não odeie a mídia, seja a mídia”.
Cada vez mais eu gosto de ler e ouvir o Jello Biafra. Desde o tempo dos Dead Kennedys (eu ainda tenho o disco de vinil branco deles!) o Jello se destaca pela sua crítica irreverente e bem humorada.
Seu nome é a união da marca de uma gelatina com o nome de um país da Africa que se tornou a Nigéria, onde existem os mais altos índices de inanição. É a união de algo que não alimenta com quem está morrendo de fome…
Eu tenho um CD duplo de 1991 só com discursos dele. Inacreditável ouvir esses discursos no contexto atual! Parece que ele está falando de 2005 e não de 15 anos atrás. Nomes como George Bush (o pai) e Saddan, e toda a ironia da guerra e da indústria do óleo já eram massacrados por sua verborréia felina. Passaram-se os anos e a geração que está aí fez o Woodstoock, o Woman’s Lib, tanta coisa… mas não mudou o mundo. Minha esperança está em quem está aprendendo a escrever e a falar nos dias de hoje.
A sorte que as frases e idéias de Jello Biafra alimentam ainda muitas mentes. Um ótimo exemplo de como ter idade e não envelhecer.

Telão Doentio

Insônia. Depois de me degladiar com os travesseiros (sim eu uso dois, um ao lado do outro), resolvo ir ver tv.
Começo a zapear os canais e na tela surge o corpo de uma mulher nua na banheira. “Ué, Sexytime?” – indaguei-me ao pensar que sintonizava o Multishow. E qual não foi a minha surpresa ao ver que era um canal evangélico!!! Jesus!!!

Continuar lendo

Knocking on heavens door

Toc. To. Toc... Não consegui entrar... Cadê a C.H..A.V.E.?
Nem sempre o Astral está aberto para você. Tem dias que se tem que trabalhar na Terra mesmo…
Paradoxalmente o altruísmo pode ser mais eficaz aqui do que nas Alturas. A ação direta para quem necessita dela.
Nesta sessão só tem bondade. Vamos rezar pro doente, que é dever da gente ter a caridade“.


Esse artigo inaugura uma nova categoria aqui do MondoVR relacionados com assuntos do Astral: O Mondo Divinal. Alguns artigos anteriores foram incluídos nessa nova categoria.