Vos convido a estar na Sala de Espetáculo (do RubisPlace)


Durante o E.T. dessa segunda, tivemos a oportunidade de ter o Henri explicando uma canalização do espacial Mabi Isa, transcrita pelo canal Ben Daijíh.
Veja alguns momentos do encontro no vídeo acima. O texto na íntegra da canalização está abaixo. Merece uma reflexão profunda durante a leitura. Não vai adiantar bater os olhos apenas. Respire fundo, leia com atenção e vá além…


“Todos os fatos verificados em vossas vidas, foram eles eventos inexoráveis para que vossos passos pudessem vos trazer até aqui, diante dessas linhas que vos inspiro escrever.
Assim, vos parece então caber a pergunta: e se eles não tivessem ocorrido, onde estaríamos cada um de nós todos? Então, adianto-vos a resposta: no mesmo lugar! A solução vos surpreendeu? Não devia, pois vos tem sido ensinado, através dos tempos, que não sóis vós que passais pela VIDA, mas a VIDA que passa através de vós. É certo dizer-se, pois, em que pese a bela figura, que não sois caminhante de estrada alguma, mas um criativo observador do que vós mesmos projetais para vossos dias. Estais sobre vossa própria EXISTÊNCIA, não conduzida por ela, mas embebida dela. Não estais aqui ou ali, ou acolá, apenas ESTAIS, pois simplesmente SOIS, não cabendo entre vós entendimentos que vos permitam a influência de conceitos como o de “futuro” e o de “passado”.
Os fatos, sim, têm endereços no tempo e no espaço. Podeis decidir estar ao lado desses ou daqueles acontecimentos, livremente. Estareis em cada hora e lugar desse cenário onde deverias estar, pois tais compromissos evolutivos vós acertastes no espaço e no tempo muito antes que tais variáveis fossem elas convencionadas por vossas mentes relativas.
Viveis em realidade na ETERNIDADE e ela não tem cenários externalizados na forma, no tempo ou no espaço. O suceder dos fatos e dos acontecimentos, deveis perceber com redobrada atenção, vos ocorrem de dentro para fora de vosso SER, como os pensamento que vos ocorrem à mente.
Vossas realiades são, portanto, como pensamentos materializados ao vosso derredor, nada mais. As voltas inúteis, os dissabores, os percalços e até as alegrias, sim, esses vós tendes escolhidos um a um e eles vos chegam de fora para dentro a vos definir o preciso contexto onde vossa conquistada sabedoria empreenderá mais uma experiência.
Por conta desse entendimento, ficais confuso? Notai que dessa maneira quero apenas vos dizer que vossas escolhas poderão ser bem mais amenas se entre vossos dias forem deixadas para trás todos os vossos medos, culpas, mágoas e ressentimentos, todas a vossas inseguranças e esse igualmente vazio e sempre inoportuno entendimento de que estais a pelejar sozinho por algo que vos tem outros mais dito que deveis conquistar a qualquer custo. O que vos caberia conquistar? Notastes porque vos tenho dito que a correta perspectiva é aquela onde possais estar como OBSERVADORES de SI MESMOS através das imagens e situações que vos rodeiam?
Fostes criados para simplesmente contemplar, inclusive vossa própria criação, ou seja, a vida que inventastes para vós mesmos. De um minuto a outro, assim, podeis vos martirizar ou não. A escolha é vossa, porque vosso é o roteiro do FILME cujo final há de ser, a cada dia, a cada ano dos vossos, a cada vida, sempre um FINAL FELIZ, pois é justo que a PERFEIÇÃO só queira para SI a própria PERFEIÇÃO. Vos convido, então, a estar na SALA DE ESPETÁCULO onde sempre o melhor dos filmes estará sendo rodado.” (Mabi Isa, por Ben Daijíh).

Eu te dei uma casa que não falta ninguém

Estamos aqui porque esta é a nossa Missão...
[clique para ver as fotos do E.T.]
O Encontro Transcendental de ontem foi… very special
A “Nova Ocidentalidade da Shambala” manisfestada pelo novo polo energético do Planeta, ancorado aqui e agora no Paralelo 30, aliado às energias do Alto Paraíso de Goiás, no Cerrado do Brasil, protagonizaram momentos que se eternizaram em pizzas, fractais, ensinos e revelações.
Viva a Egrégora de Porto Alegre. Viva a Egrégora do Cerrado. Viva a Nossa União. Viva a Semente Galáctica!!! Viva o Porto Semente!!!


Eu te dei uma casa
Que não falta ninguém
Para tu escolher
Aqueles que te convém

A estrada eu dou a todos
Para todos viajar
Ver e compreender
E ficar em seu lugar
Eu estou com Deus
Deus está em mim
Eu estando com Deus
Deus é o meu caminho
Deus é a glória
Deus a glória é
Quem é meu Salvador
É Jesus de Nazaré
Eu vivo neste mundo
Na minha direção
Olhando as coisas de Deus
E prestando bem atenção


“…Um dia estareis abrindo a porta de sua casa para um UNIVERSO inteiro. Ou não sabeis vós ainda que um dia só vos restarão estrelas para plantardes?” Issa Aresí
AHO!!!

Hoje é Semente Galáctica


Como um Bailado Cósmico, numa Dança de Shiva Universal, as energias de hoje regidas pelo kin maia da Semente Galáctica agem sobre os Guerreiros do Arco-Iris, que começam a se mover para, num lugar do tempo-espaço de hoje, se unirem fisicamente e assim celebrarem mais um Encontro Transcendental.
Aqui: Porto Alegre… Agora: Semente Galáctica. Porto e Semente… Porto Semente!!!
‘Interiorizo-me na energia da semente e floreço na arte de viver’
Até o encontro, Aliens… Vamos Além hoje à noite….

Fotos do Feitio no CHAVE de São Pedro

clique aqui para ver os clicks...
[clique para ver as fotos]
Durante o Carnaval eu estive participando do 1.o Feitio do Santo Daime no CHAVE de São Pedro, aqui em Porto Alegre.
Tivemos a presença de pessoas da vários lugares, como lá do Céu do Mapiá, em plena floresta amazônica, pessoal de São Paulo, Chile, Uruguai, Paraná, Santa Catarina, enfim… uma irmandade que conviveram durante esse dias em total e perfeita harmonia.
Foi uma experiência transcendental, um estudo fino, foi algo que levo para todo o sempre, como uma das maiores realizações já empreendidas na minha vida…
Para mais informações sobre o Feitio, visite o site do CHAVE em http://www.chave.org.br.
Quem não provou, venha provar
Essa bebida que aqui está
Um Ser Divino
Transformado em líquido
Vem acordar o nosso espírito
E acordados,
Podemos ver…
O Mestre Ensina
Vamos aprender…

A FÁBRICA DE UM NOVO MUNDO

FEITIO1.jpg
Escrevo este texto sob o sons dos pássaros, sob o céu azul, permeado de nuvens brancas, em meio do verde, flores e frutos…
Ao longe vem um som seco, ritmado, como se fosse um rufar de tambores. Tum… Tum… Tum… Tum… São os homens fazendo a bateção.
O sol ainda não depertou por sobre a colina, mas todo o brilho de sua Luz já se faz presente. Acordo com seus primeiros raios, e com o canto dos galos que anunciavam a alvorada. Os pássaros voam em grupos trazendo-nos suaves notas musicais.
Entro na cozinha, sirvo-me de pão integral que saía do forno caseiro, leite e bolo de chocolate. Vou até o outro lado da campina, na nascente, buscar água de beber para a casa, numa bombona de 20 litros. Retorno. Abro as duas porteiras e volto para a casa. Mais uma vez, retorno para a Secretaria para pegar papel higiênico e abasteço os banheiros.
Lembro-me das bolhas e dos cortes em minha mão e troco os curativos. Lembro-me também dos demais que já estão na bateção, lá dentro da mata, e levo para lá o meu rolo de esparadrapo. Aviso: “É melhor colocar antes das bolhas surgirem!”. A equipe bate forte no cipó Jagube, e a dura casca vai cedendo, deixando correr a sua seiva ocre escura e assim vão se expondo as fibras internas. O pó que se forma é armazenado de um lado do batedor. As lascas do Jabube dilacerado, do outro. Os primeiros sacos são cuidadosamente pesados e estocados, para quando as panelas já estiverem prontas. A força dos homens a cada impacto das marretas vai se somando à Força do Jagube…
Volto para a área fora da mata. As mulheres, lindas em suas saias compridas, distribuem sorrisos de Bom Dia, ao se ocuparem dos afazeres de organização e limpeza do ambiente. Dentro da igreja, as derradeiras folhas da Rainha são cuidadosamente limpas. Cada folha é observada, tocada, acariciada e, assim impregnadas do sutil feminino, trazem a Luz…
A água das cristalinas nascentes do sítio é captada através de uma extensa tubulação e é colocada dentro das grandes panelas de aço inox.
Alguns companheiros carregam feixes de lenha e outros se ocupam em reacender a fornalha. As panelas já estão posicionadas sobre a fornalha e o espaço entre elas e a base de cimento da fornalha é cuidadosamente fechada com barro para evitar a saída de fumaça por alí, e assim a chaminé recomeça a soltar uma suave fumacinha branca. Enfim, a fábrica volta a funcionar!
O produto da fábrica não pode ser limitado a apenas uma bebida feita de cipó, folha, água e fogo. É muito mais do que isso. Lá se somam o trabalho, a intenção e a Fé de todos. Aqui estão pessoas da Floresta Amazônica, do Cerrado, do Uruguai e também de várias comunidades da região sul… Meus amigos da Egrégora estão aqui. Minha mulher está aqui. Em todo o sítio, diversas crianças brincam alegremente. Aqui também convivemos com os “Padrinhos” da Doutrina, experientes senhores que trouxeram esses ensinos até nós e ainda tem a disposição de participar ativamente do processo da “fábrica”, sempre nos incentivando e nos trazendo um “causo”, lá de seu extenso baú de memórias.
Toda esse mistura de elementos da natureza e da energia das pessoas, como céu, chuva, bichos, árvores, homens no trabalho pesado, flores, frutos, cheiro de pão caseiro quente, crianças, senhores, e mulheres sorrindo, faz com que o produto verdadeiro dessa “fábrica” seja o “Mundo Novo“.
Não estamos fabricando um sonho aqui. O que antes já foi um Sonho, agora se transformou na Realidade. Essa é a realidade do “Mundo Novo” que estamos construindo juntos. Que Assim Seja!
FEITIO2.jpg

Eu vou botar meu bloco na rua…

Rei Jagube & Mãe Rainha

Se tú é um dos nossos, vem!

Ouvidos moucos! Corações duros!!!
Seguir o meu caminho sem chorar pelos que ficaram, por seu livre arbítrio, pode ser a mais dura lição a ser aprendida durante a transição…
Sobre isso avisa Ashprilla:
“Tens em vossa rica história mil e um exemplos de como entre vós, uns com os outros, tendes agido quando dias difíceis são anunciados pelo PROFETA. Os omissos aparecem primeiro, depois, em segundo lugar, os críticos e, por fim, também os que tramaram contra vós e contra a vossa iniciativa: aparecerão também vossos inimigos!
Eles todos vos pedirão guarida (abrigo) argumentando cada qual segundo sua fraqueza de caráter:
Os primeiros dirão que chegaram tarde porque estavam demasiado ocupados e que sua nobre intenção de compartilhar com os pioneiros havia encontrado o insuperável obstáculo das opiniões de outros, contra as quais não puderam lutar. Mesmo assim, a vos pedirão para ficar, e implorarão para que isso se dê.
Os segundos a chegarem dirão que, enfim, fostes capazes de provar a eles que a razão estava ao vosso lado, e que, portanto, rendidos humildemente a tal evidência, estavam ali, eles, buscando abrigo, como prova desse reconhecimento. Mesmo assim, como os primeiros, a vos pedirão para ficar, e implorarão para que isso se dê.
Os terceiros também se chegarão, os inimigos mais ou menos declarados. Aparecerão eles diante de vós cobrando de vós que sejam eles perdoados por vós, porque do contrário estaríeis dando provas, a eles, de que estavam certos eles de haverem sido vossos implacáveis inimigos. Mesmo assim, como os dois grupos anteriores, a vos pedirão para ficar, e implorarão para que isso se dê.
O que deveis fazer quando esse dia chegar? Agora, nesse momento, digo-vos apenas que esse dia não chegará. Não sois capazes vós de perceberdes? Ele, esse dia, já está entre vós. Assim, a cada um dos que vos rodear, esclarecei com firmeza apenas o seguinte: “se tu és um dos nossos, vem. Mas vem por conta da tua confiança em ti mesmo. Se tu tens por base apenas o meu convite, segue adiante, porque Eu, como tu, todos nós, já estamos diante da última oportunidade. Não é justo que tu me peças, a mim e aos demais que ao meu lado estão, para te esperar já que tua real intenção não é a de estar, amanhã, ao nosso lado“.

Quem tá dentro, tá dentro, quem tá fora, tá fora, quem está olhando, em cima do muro, é melhor pular para fora logo…
Amém / Aho / Namastê / Vamos Além / FUI Além / FUI
(esse artigo fecha um ciclo do MondoNovo e do Porto Semente)