O Preconceito

Hoje na hora do almoço tive um “papo cabeça” com alguém que se auto-denominou “budista”. Depois emendou que era budista “filosoficamente”, e não pela religião. Falou-me que não era da religião budista porque “os budistas não acreditam em Deus”…
Logo depois, ele se corrige e me explica que na realidade o budismo prega que “todos nós somos Deus”. Bom, isso para mim fez bem mais sentido! Em verdade, Buda, muito longe de negar que havia um “Ser Absoluto”, garantiu que aqueles que alcançassem a iluminação deveriam se fundir com o Absoluto, e assim perceber a Realidade em oposição ao mundo das ilusões e dos fenômenos… Mais ou mesmo que tenho percebido e tenho escrito em vários artigos por aqui: “Perceber a Realidade em oposição ao mundo das ilusões e dos fenômenos“.
Ele continuou me dizendo que por morar em uma pequena cidade do interior, onde as religiões predominantes são a católica e a protestante, sua família é alvo da intolerância religiosa. Ele me disse ter poucos amigos lá no interior por causa disso. Disse me que até tinha dificuldades para arrumar garotas na cidade, pois as gurias tinham preconceito e não se aproximavam dele.
Eu já havia escrito aqui no Mondo que “Preconceito é algo intolerável. Preconceito é burrice. É algo do tipo: Não lí, mas não gostei…”. Também já havia escrito aqui que “Preconceito é um conceito prévio. Ter opinião formada antes de vivenciar o fato. Não ler livro e não gostar”. Preconceito é algo que se vê em varios lugares, e olhando bem, inclusive se vê na gente mesmo! Só não esperava vê-lo numa pessoa que se diz budista e que é vítima de preconceito!!!
Durante a conversa com ele eu mencionei que uma amiga minha, vinda do México, durante sua viagem pela Amazônia tinha ido até a longínqua comunidade do Mapiá, onde está localizada uma sede do Santo Daime. Imediatamente ele se transforma, e diz que “não gosta do Santo Daime, e que para ele o Daime era uma Droga”… Tentando acompanhar a causa de seu conceito, pergunto se ele já havia experimentado, e ele rapidamente diz que não. Entendi então que isso não era um conceito que ele tinha, e sim um preconceito. Um pré-conceito!!!
Os preconceituosos dizem que o Daime é um alucinógeno. Dizer isso não pode ser considerado apenas preconceito, mas também muita desinformação. “Alucinógeno” é o termo que a nossa ciência atual designa pejorativamente algumas substâncias expansoras da consciência pelo efeito que elas causam. Porém a palavra alucinógeno vem do substantivo “alucinação”, e o real efeito que o Daime causa nunca pode ser considerado como uma alucinação, já que alucinação se refere a algo irreal, criado pela mente. Alucinação é um delírio, uma percepção sem objeto, uma percepção de alguma coisa que, na realidade, não se encontra no local. Referir-se como alucinógeno ao Daime é desinformação, além de ser pejorativo.
O Daime é um “Enteógeno”. A palavra enteógeno significa literalmente: “manifestação interior do divino”. Enteógeno ou enteogénico é um neologismo que vem do inglês: entheogen ou entheogenic, tendo sido proposto por investigadores como sendo o termo apropriado para descrever o estado da consciência expandida. Então ao invés de “criar ilusões sobre o irreal”, o Daime ao expandir a consciência dá a percepção daquilo que normalmente não enxergamos, não percebemos. Como disse o Buda: “Perceber a Realidade em oposição ao mundo das ilusões e dos fenômenos“.
Existem muitas realidades paralelas a nossa, realidades essa que em nossa limitada condição não percebemos. E ao não percebemos, “pré-conceituosamente” negamos a possibilidade de sua existência. O nosso cérebro age como uma válvula redutora da torrente de informações do mundo exterior e interior. Sem essa redução, chegaríamos a um “Estado de Onisciência”, um estado de percepção total. Os enteógenos podem desativar esse filtro da mente e do ego por um tempo, abrindo as “portas da percepção”.
Mas você não precisa fazer uso de enteógenos para aumentar a sua percepção. Basta começar descobrindo onde nasce o preconceito dentro de si próprio. Só por aí já se vai perceber muita coisa que estava escura.

Anúncios

3 comentários sobre “O Preconceito

  1. Aho!!
    Texto iluminado! consciente…transcendente…
    ” Essa semente consciente em nossa mente..
    somente o nosso pai eterno é quem nos dá…”
    Que todos os seres possam caminhar e evoluir rumo à convergência harmônica, livre de crenças limitantes e que possamos sempre “ler o livro do mundo” com olhos límpidos e puros…
    ” Lemos mal o livro da existência e logo nos apressamos em concluir que ele está errado”
    Rabindranat Tagore

    Curtir

  2. Bom dia Rubis! Muito be colocado amigo. Os pré-conceitos são limitadores ‘não só de percepção quanto de evolução.

    Curtir

  3. Muito boa essa materia mesmo. Pre-conceito eh uma das raizes dos desentendimentos com certeza.
    Digo amen p tudo q esta escrito ehehhe.
    Portas da percepcao… boa!
    Abraco! suadades!
    Anai

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s