Quem procura (não) acha

No final de um trabalho espiritual, neste mês, fui surpreendido com uma pergunta de um visitante:
– “O que você está procurando aqui?” – questionou-me ele.
Pensei por alguns instantes e veio-me a resposta, mas antes que pudesse responder, ele com um sorriso pre-julgador na face me questionou novamente:
– “Você não deveria ter demorado para responder! Acho que você não sabe o que você está procurando aqui!”.
Respondi então ao neófito rebelde:
– “Eu não estou procurando nada aqui. Aqui eu estou apenas encontrando…”.
Pobre daquele que pensa ter todas as respostas, saber o melhor para todas as pessoas e prejulgar com a sua viciada ótica todos os demais irmãos.
Pobre daquele que julga saber tocar o piano apenas por ter algumas partituras nas mãos. A Obra se faz vivenciando.
Pobre daquele que se julga avançado no caminho. Muito melhor ter a humildade de receber um ensinamento do que a arrogância de pensar que é “pós-graduado” no Espírito.


A Lógica Reversa é: “Não é procurar para Achar, e sim entregar-se ao poço universal das experiências e lá encontrar o que lhe é harmônico”.
Quem procura, acha apenas o que lhe é pré-concebido.


“Vós tendes vos ocupado com o que chamais “espiritualidade”, buscando promovê-la em vosso coração e em vossa alma. Mas, o que é “espiritualidade”? Afirmo-vos, a partir de tudo o que nos foi possível compreender de vós e de vossas aspirações as mais profundas, que tal empenho carece plenamente de qualquer sentido. Sois ESPÍRITO, de modo que não há espiritualidade alguma a ser promovida ou conquistada. É a vossa VIDA que entre vós tem precisado de atenções. Derrama sobre ela a essência do que de fato sois, ESPÍRITO, e ela se renovará. Como deveis proceder? Para que possais vós mesmos responder a essa indagação, digo-vos que VIVER é ser FELIZ, plena e profundamente, e para que possais viver, começai por libertar-vos inteligentemente do que vos oprime e dos olhos que vos vigiam todos os passos no cativeiro no qual vos aprisionaram. Não sois FILHOS DE DEUS para atravessar vossos dias, um após o outro, para saldar compromissos que não vos pertencem: eles, essas obrigações que vos atormentam as horas, de dia e de noite, não são, vos adianto, os vossos verdadeiros compromissos”. (Molaki)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s