Ensinos da Floresta

Muitos ensinos nessa pessoa: Benção, Padrinho...
[Rubis e Padrinho Chico Corrente – foto de Fev./2007]
“Como é que o Mestre vivia com o povo dele? Era plantando arroz, plantando feijão, plantando macaxeira, plantando cana, plantando banana, para ter a fartura natural. Quer dizer: que essa aqui é a riqueza que o Mestre deixou na nossa mão, foi essa tradição, esse conhecimento de trabalhar uma terra e da terra tirar o pão de cada dia. (…) o Santo Daime, enquanto terapêutica alternativa, se realiza, a olhos vistos, não apenas no decorrer de suas sessões e hinários festejados, mas também no esforço do trabalho com a terra, na enxada, no terçado, no machado, na pá e no aguador, para assim se receber as energias positivas e eliminar positivamente as negativas, regidos pelo movimento do Sol, da Lua e das Estrelas, sendo essa a sabedoria regeneradora para curar os homens das cidades ao reencontrarem sua harmonia profunda com a Mãe Natureza, e assim serem mais felizes. Este é o exemplo do Céu do Mapiá.”
Essas palavras de Francisco Corrente da Silva fazem parte da entrevista publicada no Suplemento Especial do jornal acreano “O Rio Branco” em comemoração ao Centenário do Mestre, na terça-feira 15 de dezembro de 1992.


Nesta semana estamos em Feitio no CHAVE de São Pedro… Viva!!!
Eu vi no Sol, eu vi na Lua e nas Estrelas
Eu vi no vento, eu vi na terra e vi no Mar
Eu peço a Deus para seguir o meu destino
Para sempre esta luz eu alcançar…

(Francisco Corrente)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s