A Noite fora do Tempo

O manto estelar nos cobre inteiramente. De lado a lado, o Cosmos em sua plenitude, que a cidade distante ousa esconder. Estrelas fosforescendo, a Lua minguando num quarto, cometas discretos cadentes no céu. Esparsas nuvens. A imensidão celeste.
À nossa frente, lenhas em brasa cintilam pontos de luz como as estrelas lá de cima. O calor que emana da chama, nos acolhe e nos protege do inverno cortante que se manisfesta intensamente naquele aqui-agora.
Um silêncio absoluto se instala. Tudo pára. Não há vento. As folhas parecem estáticas como num quadro. Os antes distantes uivos dos cães, agora não ladram mais. Sapos e grilos emudecem. O som do nada. Seguramos a respiração…
E no centro desse quadro universal, em plena conjugação do Dia Fora do Tempo do Calendário Maia e da Lua Minguante, Pai e Filha se reunem na contemplação daquilo que sempre foi e nunca deixará de ser.
Um breve lapso na matrix. Uma Noite fora do Tempo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s