Missão – Parte 1

Como consultor empresarial, é comum eu me deparar com a necessidade de se redigir a Missão da organização a qual estou ajudando. A Missão empresarial bem redigida e bem difundida desenvolve nos funcionários um senso comum de oportunidade, direção, significância e realização.
Deveria ser assim também com as pessoas. Todos deveriam saber qual sua Missão. E a partir daí dar uma maior significância às suas vidas, alinhando suas ações para o que deve ser feito.
Só que as pessoas não sabem, ou melhor, se esquecem o que vieram fazer na superfície da Terra. E a partir daí ficam à mercê dos acontecimentos, ou dos oportunistas de plantão, notadamente aqueles que controlam o sistema.
Para saber qual é a sua Missão, devemos primeiramente saber qual NÃO É a nossa Missão.
E a maior dica é: a missão do outro não é a nossa missão, assim como a nossa missão não pode ser repassada para outro. No momento que assumimos o que pensamos ser a missão do outro, automaticamente colocamos tantas novas variáveis no meio que seria muita presunção pensar que ainda estamos no caminho de uma missão pura. Quem conta um conto, aumenta um ponto e quem assume uma missão de outro a modifica.
Mas o pior é: não seria uma fuga, um desmando, um mal-entendido assumir algo alheio e deixar de fazer o que é o seu?
Por isso, repito: a missão alheia não pode nunca ser a sua missão. Já é um começo

Pedro, Cap.3, versículos 8-18

8 Há, todavia, uma coisa, amados, que não deveis esquecer: que, para o Senhor, um dia é como mil anos, e mil anos, como um dia.
9 Não retarda o Senhor a sua promessa, como alguns a julgam demorada; pelo contrário, ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento.
10 Virá, entretanto, como ladrão, o Dia do Senhor, no qual os céus passarão com estrepitoso estrondo, e os elementos se desfarão abrasados; também a terra e as obras que nela existem serão atingidas.
11 Visto que todas essas coisas hão de ser assim desfeitas, deveis ser tais como os que vivem em santo procedimento e piedade,
12 esperando e apressando a vinda do Dia de Deus, por causa do qual os céus, incendiados, serão desfeitos, e os elementos abrasados se derreterão.
13 Nós, porém, segundo a sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, nos quais habita justiça.
14 Por essa razão, pois, amados, esperando estas coisas, empenhai-vos por serdes achados por ele em paz, sem mácula e irrepreensíveis,
15 e tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor, como igualmente o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada,
16 ao falar acerca destes assuntos, como, de fato, costuma fazer em todas as suas epístolas, nas quais há certas coisas difíceis de entender, que os ignorantes e instáveis deturpam, como também deturpam as demais Escrituras, para a própria destruição deles.
17 Vós, pois, amados, prevenidos como estais de antemão, acautelai-vos; não suceda que, arrastados pelo erro desses insubordinados, descaiais da vossa própria firmeza;
18 antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja a glória, tanto agora como no dia eterno.

Dois Mil e Dúzia

Ia escrever um artigo, mas vou ter que olhar o nenêm… Sorry…