Muito assim

Hoje é dia de Eclipse…. eheh
Eu gosto sempre nesses momentos (assim também) de fazer uma mentalização, ficar contemplando… (assim) em contemplação, aproveitando (assim) a captura da energia desse momento singular porque o Eclipse é sempre uma sincronicidade.
Eu entendo que ao haver o alinhamento do Sol, da Terra e da Lua é o momento que a gente está sob uma energia pelo menos (assim) gravitacional especial, né?
Aí claro, tem um componente (que nem esse teu áudio tentou passar) astrológico, que eu não entendo muito, mas eu respeito, eu entendo que tem uma energia da astrologia envolvida também.
Agora perante a astronomia com certeza tem, que é essa situação gravitacional, que eu estou te falando aí, né?, que é uma coisa linda da natureza, eu sempre (assim) me espanto ao perceber que nós estamos em determinado local da distância do Sol que a nossa sombra tapa totalmente a Lua, isso é uma coisa realmente sincrônica porque se fosse mais para a frente ou mais para trás isso também não aconteceria.
É muito bacana. Então aproveito essa sincronicidade e te proponho, vamos ver o eclipse juntos? Onde você vai estar? #eclipse #rubiswriter #assim #whatapp

Anúncios

Lua Cósmica

Os ciclos da vida. Os ciclos das estações. Os ciclos lunares. O ciclo dos anos… Tudo em sincronia.

Estamos na antevéspera de mais um ano lunar, de acordo com o Calendário Maia e o Sincronário da Paz. O ano da LUA CÓSMICA.

Hoje é o último dia do ano atual, amanhã é celebrado o Dia Fora do Tempo na Cultura Galáctica e então, na quinta começa o ano novo da Lua Cósmica.

Sincronizados na Lua, temos “meses” de 4 semanas de 7 dias, totalizando cada mês 28 dias, assim em total harmonia com a Lua. Cada “ano” corresponde a 13 “meses” lunares de 28 dias, totalizando 364 dias. Então para “sincronizar” com o ano solar falta um dia que é amanhã, o DIA FORA DO TEMPO.

Compreendemos que as 13 Luas de 28 dias formam a ordem perfeita para integrarmos ao nosso tempo o respeito e a harmonia com os ciclos da natureza e a humanidade como um todo.

Na natureza, o padrão do número 13 é encontrado nas treze órbitas da Lua ao redor da Terra ao longo de um ano, nos treze ciclos menstruais femininos e nas treze articulações principais do nosso corpo.

Quando observamos sua harmonia, podemos perceber que as 13 Luas de 28 dias são uma estrutura perfeita definida pelos números 4, 7 e 13.

O Dia Fora do Tempo é um dia para a Arte, para a Confraternização, para a Paz.

O novo “ano” que se inicia, da Lua Cósmica inicia forte: já com o mais longo eclipse lunar do ano…

Este novo ano lunar cumprirá uma Onda Encantada de 13 anos, que iniciou com a Lua Magnética em julho de 2006… Neste ciclo deveremos optar pela entrega e aceitação. Colheremos os frutos no ‘agora’ e irradiaremos alegria para as nossas vidas e nosso entorno, usando de inteligência e destreza para lidar com os desafios.

O tom Cósmico estabelece um novo momento, trazendo renovação, leveza e novas possibilidades… um estágio de maior percepção, de conexões subliminares e de transcendências emocionais.

É evidente que teremos um período de forte transformação e transcendência. Todos estão convidados a alçar o voo no tempo, e navegar no sem fim da espiral evolutiva.

Vamos Além. A Federação Galáctica vem em Paz.

(na imagem uma planilha que estou fazendo para acompanhar o ano lunar que se inicia)

A Técnica do Discípulo

IMG_20180702_213235152

Aprender, aprender e sempre aprender. Esta é a senda do Discípulo, do Neófito.
Já os Mestres, dedicam seu tempo para a descoberta, para a formulação de teorias, que depois com a aplicação da prática, demonstra-se ciência. Sou ainda do lado cartesiano quanto a isso: sem comprovação é credo.
Porém nada desabona o credo, pois tão certo quanto o ver para crer tomesiano, está o crer para ver crístico. São complementares, estão associados, “entrelaçados“, como é dito na física quântica.
Existem muitos mestres. Sem preconceitos ou dogmas. Afirmar que o homem não foi na Lua, que não devemos crer nos mestres que nos aparecem e outras expressões simbólicas, devem ser compreendidas com a tolerância do contexto regional-temporal-intelectual, sem desprezar o espiritual. Nada é certo ou errado, apenas é assim relativo a um contexto.
Tudo isso porém é introdução. O fato é existem pessoas que descobrem e inventam teorias e existem pessoas que aprendem diretamente com elas. Os prêmios nobel da física quântica, o psicanalista Carl Gustav Jung, Amit Goswami, Nicolas Tesla, Hélio Couto, Gari Craig e tantos outros pesquisadores, cientistas e intelectuais estão nesse primeiro nível. São os indutores, os percursores, mas não levam (todos) os “louros financeiros” de seu trabalho.
Entra em cena agora os discípulos dos mestres. Pessoas que estudam, estudam, estudam, se referenciam em diversos mestres e teorias, e aplicam um compêndio de técnicas conforme o seu jeito. Tem o seu valor também. Quem nesse ritmo de vida de hoje em dia conseguiria estudar direto com os mestres? Daí a importância do “resumo”.
A internet está infestada desses últimos. Todo discípulo tentar lançar o seu método interpretativo compêndio dos verdadeiros mestres, registra um nome (e se tiver o termo ‘quântico‘ no meio, melhor…) e… abre o carrinho. que significa, começa a vender um curso on line.
O crítico dos revendedores de mestres na internet geralmente são muito limitados, seja na fé, seja na diversidade de idéias ou de mestres que já acompanha. Tipo: “EU leio o ParagnodedemandosaMAntraGOvi e para mim já está bom”. Ótimo para ele e péssimo para a discussão de idéias.
Eu, Fundador, Mestre & Discípulo da original Doutrina Rubinesca, essa sim eclética por definição, sou discípulo dos grandes mestres, e sou discípulo de seus grandes discípulos também. Parabéns ao Goffi, à Elainne Ourives, ao Paulo Vieira, ao Henrique Carvalho, ao Lair Ribeiro e tantos outros que me ensinam a compor o Rubino 2.0. Quanto aos prêmio-nobel, eu não preciso parabenizar, porque a Academia Sueca já faz esse trabalho.