Bohemian Rhapsody

“Is this the real life?
Is this just fantasy?”

queen

Com as primeiras estrofes de Bohemian Rhapsody, do QUEEN, eu abro o meu artigo.

Magia é quando a vida real se transforma em fantasia. A vida deveria ser mágica, vocês não concordam?

Acabo de sair do cinema e vi o filme Bohemian Rhapsody, que conta a estória mágica de Freddy Mercury e do Queen.

A banda é fantástica e por mais que o filme omitisse fatos importantes e não respeitasse a correta cronologia dos fatos, qualquer produção seria magnífica, e esse é o caso: Bohemian Rhapsody é um grande filme não apenas sobre uma grande banda, mas sobre ego, foco, família, destino, amizade e amor.

Acompanho o Queen em sincronia com a banda, desde a época onde sincronia significava poder ouvir o álbum seis meses depois de lançado lá fora.

A primeira vez que ouvi o Queen foi no rádio (AM) , justamente a música Bohemian Rhapsody. Lembro-me que fiquei perplexo. Fui atrás das outras músicas. Rapidamente a minha banda de rock passou a tocar os hits do Queen e Brian May era um modelo para minha guitarra.

O primeiro CD que comprei com o meu dinheiro foi o Kind of Magic, do Queen, que achei numa loja lá na Zona Franca de Manaus, já que na época não se achavam CDs nas lojas do sul, a não ser de música clássica…

Fui no show do Queen em São Paulo (os isqueiros em Love of My Life ainda acendem em minha memória) e assisti o show deles na tv quando eles tocaram no megaconcerto Live Aid.

Então acho que dá para entender a emoção que o filme me causou. Seria apenas uma emoção de deja-vu, pelos fatos vividos por mim relacionados ao Queen, narrados acima, mas foi muito além disso.

Bateu forte a emoção de tocar para uma multidão, pois eu já toquei num estádio lotado (talvez não tão lotado quanto o de Wembley, mas tinham cem mil pessoas pô) e esta energia bateu forte durante o filme. Isso é fato e é assim que lido com isso.

Mas principalmente, eu estava com meu amado filho Sirius no cinema, e no dia de hoje ele fez um show na escola tocando piano, e assim, vibrou com as músicas que o Freddy executou também ao piano no filme. Que coisa boa assistir o filme ao seu lado, fazendo comentários sobre as passagens do filme e principalmente lhe dando uma referência de música de primeiro nível, e não essa coisa chamada funk que assola o youtube.

“Goodbye everybody
I’ve got to go
Gotta leave you all behind
And face the truth”

Esses são fragmentos da minha vida real, que se parece com uma fantasia, e que revivi hoje no cinema.

Tchau pessoas, eu tenho que ir.

#queen #BohemianRhapsody #rubischill

Crédito da imagem, do meu amigo das Arábias Walter Salvador, que também foi no show em Sampa…