Ái Ái Ái Ái Ái…

17/04/2019 Cerimônia Comemorativa do Dia do Exército

Eu não imaginava um cenário pior: golpe, contra-golpe, em meio uma pandemia.
O que acontece é que existe uma união dos opostos, ou seja inimigo se juntando com inimigo, para tirar o Presidente do poder. É isso: o resumo da ópera bufa que vivemos. Disse que é bufa, porque é ligeira, satírica e se desdobra em poucos atos. Final com tudo para ser apocalíptico, e não apoteótico.
Apesar de serem vários os protagonistas dessa ópera, destaque vai para Maia, Alcolumbre, Doria, Imprensa e STF.
Maia e Alcolumbre aproveitando o regime de votação à distância estabelecido pela pandemia, deixam caducar importantes medidas provisórias do Executivo. Além disso, não abriram mão do fundo eleitoral, dizendo que isso seria “demagogia”. E o pior: descaracterizaram o plano Mansueto para gerar um desfalque de mais de cem bi sem contrapartidas, com a desconfiança óbvia de roubo do erário e com a certeza de boicotar o governo federal que não terá mais gestão na parte econômica. Ninguém pode ser apoiador disso, só se for ladrão querendo uma partezinha do crime, ou… querer ferrar com o Presidente.
Já o Doria, num delírio que visa a eleição de 2022, fez um motim de todos os governadores contra o Bolsonaro e contra o povo. Todos sabem que ele foi eleito na marola do Bolsonaro (auto intitulando-se BolsoDória…). E por fim quis se auto-proclamar o “inventor” da hidroxicloroquina. Dória virou um projeto de ditador e é humilhante o que o povo faz com ele nas ruas e nas redes nos últimos dias.
A imprensa, certamente afetada pelos cortes de verbas do governo federal, contribui no ataque diário e incessante a tudo o que o governo faz. O povo contra-ataca, não deixando mais a Rede Globo fazer entradas ao vivo.
O STF simplesmente desautorizou o Presidente transferindo o seu poder para os governadores e prefeitos, e está perigosamente interferindo também no poder legislativo, como repetitivamente reclama nosso projetinho de primeiro ministro, Maia. Solta os ladrões, e não respeita a Constituição.
Estabelecidos esses pilares contra o Presidente, vem o desprezo do óbvio, por parte desses que o atacam: as pessoas sem emprego e em quarentena vão morrer de fome, o país está quebrando. Por isso o Bolsonaro sempre alertou sobre o lado econômico da quarentena. Agora, até o preposto chinês na O.M.S. diz o mesmo. Hoje já existem diversas situações de descontrole devida à impossibilidade prática de se manter o #ficaemcasa num pais plural como o Brasil.
É fácil para o hipócrita ficar pedindo comida pelo UberEats, vendo live pelo youtube e instagram, assistindo CNN pela tv a cabo e maratonando na NetFlix, repetindo o slogan televisivo #ficaemcasa, e arrotando #bolsonarogenocida em meio a um sorriso satírico nos lábios: disse que era bufa…
Esses hipócritas não estão preocupados com o Brasil, só estão preocupados em tirar o Bolsonaro. Suas mentes estão sendo lavadas com a psicologia do oprimido faz tempo, seus professores são soldados da máquina socialista e se não tem a coragem de reconhecer os crimes antigos realizados por esse sistema, imagine se teriam coragem de falar tudo o que eu apontei acima agora.
(Tenho pena daqueles que estão soterrados pela polícia da verdade. Reféns do politicamente correto. Artistas libertários, que não ousam ir contra a Lei Ruanet pelo receio da pressão de seus “amigos”, professores imparciais, que não podem escrever o que pensam em suas timelines por terem medo de perder o seu pequeno espaço nas universidades, e pior, terem que conviver e acatar os comentários quase sempre odiosos e maledicentes de sua bolha. Senão perderão sua reputação, serão odiados por manisfestarem a sua verdade. Mais fácil posar de isentão, continuar curtindo e permitindo discursos de ódio contra a direita em suas redes sociais para se fazer de “descolado”, e vez em quando ir encher o saco daquele da bolha alheia, por motivos que só os os chatos de alma poderiam explicar.)
Tenho que registrar algo relevante antes de encerrar. Não adianta ser contra o Bolsonaro por ser “do contra”. Você pode estar ajudando o Dória ou coisa pior, como o Huck. Tivemos o exemplo didático do #ELENÃO nas eleições, onde o “beautiful people” ficou escondendo que iriam voltar no poste do presidiário com um slogam de negação do Mito. Não funcionou e nunca funcionará. O cérebro não entende o “Não”. Se eu disser “Não pense num elefante…”, tua mente vai lá e pensa. Ser contra o Bolsonaro é só apoiando outro alguém. Então não perde tempo articulando golpe, contragolpe, não interessa a ordem. Bota a cara para fora e assume quem é o teu anti-Mito e só assim terá dignidade política. O problema é que esse não existe. O Carniça já era.
O Bolsonaro, isolado politicamente, certamente aconselha-se com seu filhos, e tem seu ego inflado pelos bolsonaristas mais radicais. Isso tem se provado ser encrenca na certa. 02 a 04 são até mais destemperados que o 01. Um Bolsonaro incomoda muita gente, quatro Bolsonaros incomodam, incomodam, incomodam, incomodam muito mais. Daí o Mito fica ouvindo seus filhos e comendo milho (graças a CNN sabemos que foi milho com ketchup Heinz, Sal do himalaia e resto de ovo de páscoa…) louqueia de vez, e vai discursar em frente ao quartel do exército em cima de uma caminhonete branca. Chico Xavier quase acertou: disse que seria num cavalo branco… Deixando piadinhas de lado;
Encerro: Bolsonaro anda nas ruas, não porque é um inconsequente, mas sim porque o povo o apoia e porque ele tem sua prática em consonância com seu discurso, quer goste, quer não goste. Diga se os pilares contra o Presidente nomeados anteriormente aqui podem andar nas ruas? Se o povo está com eles? (Não está).
Agora ferrou de vez: vão acusar o Bolsonaro de algo que ele não fez, mais uma vez, pois não foi ele que fez a manifestação, nem chamou AI-5 e a situação da pandemia provavelmente vai piorar (no médio prazo) e assim, vai continuar a ser usada contra o Bolsonaro, como tudo o que aconteceu de ruim antes. Derramou o óleo, culpa do Bozo, queimou a floresta, BozoNero, lotou a UTI de COVID, Bolsonaro genocida. Vai ser algo lamentável, vão fazer o sempre fazem, que é acusar o outro de seus próprios atos.
Do jeito que está a única solução é gemer cinco vezes, como no título deste artigo. Todas as demais possíveis soluções o gemido vai ser bem pior.
(atualização de 20/04/2020: não vai adiantar mais gemer, não irão vir assoprar)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s