Apenas fazendo

Just DO IT !!!
Você pensa: estou arrependido, “aprendi a lição“. E não faz nada para demonstrar isso, como se a absolvição de teus pecados passasse apenas pelo júri da tua consciência!
Você pensa: estou convencido, “é assim que funciona“. E não faz nada para colocar em prática a sua idéia, como se a realização de teus sonhos fosse se materializar em sua frente sem nenhuma ação sua, apenas pela Providência Divina!
Você pensa: estou acabado, “não tem mais jeito“. E não faz nada a não ser negar que cada momento que passa é o destino acenando com uma nova oportunidade para que o teu livre arbítrio inicie alguma coisa nova para você sair do buraco.
Você pode continuar apenas pensando tudo isso e continuar se enganando. O pior engano é enganar a si mesmo.
Ou você pode mudar tudo isso, apenas fazendo. Você pode mudar tudo isso: apenas fazendo.

Anúncios

Café Gourmet

Sinta o aroma... Café curto, nem pensar!!!
Faz tempo que o café vem ocupando um grande espaço em minha vida. Com a chegada da minha cafeteira DeLonghi, estou virando um expert.
Antes eu não era fã de café. Nescafé para mim estava ótimo… Não aguentava o “trabalho” de “ver” um café de pó ser passado na hora, mesmo com aquela cafeteirazinha italiana de bule que existia por aqui…
Fiquei só, e comecei a sair de noite para beber café no Muffuletta. Café Baileys. Animei-me e comprei um porta filtro com filtrinhos da Mellita. Comprei errado, pois peguei o menorzino e nem dava para dois cafezinhos e vivia entupindo. Resolvi então partir para a cafeteira super luxo especial: a máquina italiana de expresso DeLonghi.
A partir daí virei um degustador de cafés, pois tenho comprado todos os tipos e jeitos de pó:
Mellita Tradicional: Bom, forte… Sabor básico. Tem a tendência de ficar ou muito forte ou as vezes fraco na máquina de expresso, talvez por ser moido muito fininho e entupir facilmente o filtro metálico.
Descafeinado: Bom para tomar a noite e não perder o sono, mas seu sabor é bem inferior aos demais…
Mellita Forte: Melhor do que o Tradicional. Rende mais, com uma porção para 2 dá para passar tranquilamente com água para 4 e ainda fica bem encorpado.
Creme Irlandês: Meu favorito com sabor. Quase um Baileys Coffee, sem Baileys!!! E o aroma então, deixa qualquer um com água na boca. Serve para impressionar quem vem no RubiBar.
Chocolate com Trufas: Sabor estranho, não parece café. Fraco com muito gosto de chocolate. Apenas para tomar de vez em quando e não comprar mais quando acabar o pacotinho…
Cafeterie (Café do Ponto): O meu predileto até agora!!! Café super luxo especial, feito de grãos arábicos (seja lá o que isso significa…). O aroma é inacreditável, o sabor é perfeito. Ele é especial para máquinas de expresso, portanto nem compre se você não tiver uma. E falando nisso, é o café mais caro também: o dobro do preço dos demais!
Meu amigo Jones me falou que agora eu tenho que comprar uma maquininha de moer os grãos de café e eu mesmo fazer o meu “blend”, com a mistura de grãos que eu achar mais adequada ao meu paladar e com a granulometria do pó que eu desejar!!!
Vai ser difícil eu superar o Cafeterie, mas adivinhem se eu não vou tentar?!?!?!

Domingo de Sol em Porto


[ponte do Guaíba – photo by Rubis]

Combustível para o treino de hoje

tudo integral e light...
Atualização no fim do dia:
Resultados do Treino: 4 km (10 voltas) em 24’56”… Deu para perceber como o calor interfere no rendimento, pois o treino foi com sol e estava muito hot, hot, hot!

Viva a Liberação Feminina!!!

carrinho de superrepus ed ohnirrac
O tema não é novo, mas quando vivido na prática assume um significado mais forte: Viva a Liberação Feminina!!!
Ontem eu passei por uma experiência bem inusitada, a qual nunca havia vivenciado: passei a tarde (quase a tarde toda) “pilotando um carrinho de supermercado” e depois, à noite, “pilotando um fogão”.

Leia mais »

Hot, hot, hot

E o treino de agora há pouco foi… “hot”! Mesmo correndo de noite, a temperatura em Porto Alegre hoje estava de rachar. Devia estar mais de 30 graus às 9 horas da noite, horário do treino.
O tempo total dos 4 km (10 voltas) foi de 24’22”, um pouco pior do que o tempo do treino anterior no Iguatemi. Isso se deve principalmente por causa do calor e do ritmo mais lento que empreendi nas primeiras voltas para acompanhar os demais integrantes do VR2 Running Team.
Os batimentos cardíacos estáveis em 146bpm. E a maldita tendinite ficou quieta, pelo menos por enquanto, já que o corpo ainda não esfriou…
Realmente o treino foi hot. E nada melhor para repor as energias depois de uma noite hot dessas do que um Hot Filadélfia”. Fui…

Fim de uma jornada


[clique to zoom]
Sul do Brasil, Natal de 2001

Ninguém estraga: é proibido estragar

quando chega a hora de ir embora
nunca peça para ficarmos mais
sabe quando o amor morre e não renasce?
quando a gente não mais descontrai
vamos dançar sobre os nossos ossos
dançar em cima daquilo que sobrou
fazer a partida ser algo leve
ver que a tristeza não contaminou
ninguém estraga: é proibido estragar
despedidas: só com sorrisos
ninguém estraga: é proibido estragar
muitos sorrisos: altivos pra você
ninguém estraga: é proibido estragar
somente gente feliz despreendida
somente gente feliz independente
ninguém estraga: é proibido estragar
“quando a gente aprender a não estragar as coisas, conseguiremos ser felizes para sempre ao lado dos nossos parceiros” – Rapunzel

As sinfonias que nunca foram tocadas

nuvem_semaforo.jpg
[photo by Rubi]

Leia mais »

Segunda vez, nem a pau.

A serpente tem seus sortilégios: te afaga, te acaricia, se enrola em ti, diz que és o máximo, e depois, quando estás confiante… dá o bote certeiro!
E como já caí “nessa” antes, sei onde tudo vai parar. Sei da dificuldade de recuperação. Sei de tudo. Experiência, cara!!! Sei das causas e dos efeitos. Só não sei como evitar cair nessa armadilha novamente. Eu sou assim.
Estou falando da tendinite. Nessa terça fiz meu treino correndo na famigerada pista do Iguatemi, onde puxei 4 km em 23’59”. Acho que meu melhor tempo “de todos os tempos”…
Comecei a correr na semana passada: uma dorzinha me fez parar. No treino seguinte, tudo bem. Depois, baixei os tempos e tudo ok! Era a serpente me seduzindo. Recuperei minha confiança: “não é porque eu me danei uma vez que vou me danar uma segunda”… “afinal, agora tenho experiência”…
Resultado: fui autêntico com meus ideais e o resultado foi um leve desconforto no tornozelo direito. Seria ela de novo?
Por via das dúvidas, disse o meuok” para a maldita tendinite.
Nas “corridas”, quando “coisas conhecidas” começam a sinalizar, você tem que se cuidar… Estou saindo do tratamento de uma “inflamação aguda”. Outra de novo, nem pensar…


Talvez ainda exista alguma pista de corrida emborrachada, algum par de tênis, ou até algum relógio com GPS que me entenda: A posse não existe (posse de nada existe: deixa de pagar o teu IPTU e vê o que acontece com a tua casa “própria”…) e que a parceria total significa ficar feliz quando se corre bem em qualquer pista, seja num Iguatemi tranquilo ou nas areias de uma praia brava.